Flamengo, pressionado, encara o Emelec na Libertadores

Pressionado após empatar por 2 a 2 com o River Plate da Argentina, em casa, o Flamengo volta a campo nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Estádio George Capwell, em Guayaquil, no Equador, em confronto válido pela segunda rodada do Grupo D da Copa Libertadores.

Todos os quatro times estão empatados com um ponto, já que os equatorianos iniciaram a disputa ficando no 1 a 1 com o Independiente Santa Fe na Colômbia.

Paulo César Carpegiani, comandante do Flamengo, sabe que a pressão existe, mas pediu a seus jogadores tranquilidade.

“É importante jogarmos de maneira inteligente, valorizando a posse de bola e não aceitando a correria do Emelec”, disse Carpegiani.

Os jogadores, porém, parecem que já estão acostumados a lidar com a pressão.

É um jogo fundamental fora de casa. Temos que ir para ganhar. Infelizmente empatamos em casa. Vamos buscar a vitória. Temos que ter a sabedoria de chegar lá e fazer um bom jogo. Acompanhei jogos do Flamengo na Libertadores no ano passado. Tem que tentar ganhar fora de casa. Não é fácil. Mas onde o Flamengo vai, tem que vencer. Não será fácil lá. Mas temos consciência que nossa obrigação é vencer”, avisou o zagueiro Rhodolfo.

O Flamengo tem um problema para este jogo. O exame realizado no zagueiro Réver apresentou um edema ósseo no tornozelo direito e o defensor está vetado para o choque contra os equatorianos. Sem o Xerife, Rhodolfo e Juan formarão a zaga titular.

Existe ainda uma dúvida no meio-de-campo: Jonas ou Willian Arão. Eles disputam a vaga do colombiano Gustavo Cuéllar, que cumpre o segundo jogo de suspensão por conta de sua expulsão na final da Copa Sul-Americana do ano passado, contra o Independiente da Argentina.

Gazeta Esportiva

COMPARTILHAR