Ramiro no Corinthians: custo zero ou lucro. Sem chance de prejuízo

A diretoria do Corinthians recebeu elogios de todas as partes pelo acerto com Mauro Boselli em uma negociação que não envolveu qualquer pagamento ao León, apesar da rescisão contratual do centroavante argentino com o clube mexicano em meio ao período firmado em contrato.

Mas, a contratação de Ramiro talvez tenha sido a grande jogada de mestre do Corinthians nessa janela de transferências. Futuramente, o clube paulista pode ter lucro com o meio-campista ou, no mínimo, a operação ficar em custo zero. Não há chance do Timão sair no prejuízo.

Publicidade

O acordo entre Corinthians e Giuliano Bertolucci, empresário do atleta, é o seguinte:

Se chegar qualquer proposta por Ramiro durante a temporada 2019, o alvinegro não é obrigado a liberá-lo, independente dos valores oferecidos. Seria uma decisão unilateral do clube.

A partir de janeiro de 2020, caso alguma instituição tope pagar 3 milhões de euros (R$ 12.7 milhões na cotação atual), o Corinthians terá duas opções: ou iguala a quantia, adquire de vez os 70% dos direitos econômicos e fica com o jogador ou libera Ramiro, não leva nada, mas também se exime de qualquer pagamento.

A segunda opção caracterizaria o custo zero, já que nesse cenário Ramiro teria defendido o Corinthians sem o clube nunca ter pago nada por sua contratação e nem ter recebido nada por sua liberação.

Para tornar o acordo ainda mais favorável aos corintianos, foi decidido que o lucro de uma negociação acima dos 3 milhões de euros ficará 100% nos cofres do Corinthians. Ou seja, se alguém pagar mais do que 3 milhões de euros por Ramiro a partir de 2020, a equipe do Parque São Jorge repassará exatamente 3 milhões de euros ao empresário e embolsará o restante.

Gazeta Esportiva

COMPARTILHAR