KiPão/TRENA/AB Agro Brasil é a grande campeã do Interfirmas 2018

Um bom público prestigiou ontem a decisão do XXIV InterFirmas, competição realizada anualmente pela ACISMI – Associação Comercial e Industrial de São Miguel do Iguaçu, com o apoio das empresas locais e da Secretaria Municipal de Cultura e Esportes.

Antes de entrar no espírito de jogo, vale ressaltar o espírito esportivo dos comandantes destas duas equipes, os empresários Amauri, técnico da Kipão / TRENA / AB Agro Brasil e o empresário João Carlos, técnico da Metalúrgica Raimundi / Sicredi. São duas equipes que participaram praticamente de todas as edições desta competição.

Publicidade

Não tenho em mãos os números atualizados – mas, se não me falha a memória, durante esses anos de existência desta competição, eles tinham se confrontados muitas vezes nas quartas e nas semifinais, nunca numa decisão. São dez títulos conquistados pela Raimundi e dois pela Kipão.

O Jogo

Mesmo com as luzes apagadas do placar do Ginásio de Esportes – acredito que o primeiro gol saiu por volta dos dois minutos de jogo – quando Natal, num toque rápido cruzou a bola e colocou o Garotinho Da Rosa na cara do gol para fazer 1 X 0 para a equipe Kipão / TRENA / AB Agrobrasil.

Com menos de um minuto, na cobrança de um escanteio, o garotinho Jean Welter, um dos melhores na quadra, empatou o jogo. E diante destes dois gols rápidos, a perspectiva era de que teríamos muitos gols. Com muito mais posse de bola, a equipe da Metalúrgica Raimundi / Sicredi, fez um primeiro tempo marcando no ataque e os seus principais erros cometidos foram no último lance, na preparação para a finalização. A impressão que se tinha era de que os seus atletas estavam superconfiantes e acreditavam que a qualquer momento poderiam marcar e deslanchar… Mas não foi e o placar do primeiro tempo terminou mesmo em 1×1.

Na volta do segundo tempo, a estratégia foi à mesma, com a equipe Kipão jogando fechadinha atrás, explorando as jogas pelo alto e aproveitando a altura do Magrão, que é bom que se diga, foi fundamental na conquista deste título.

A Metalúrgica Raimundi, continuava martelando no ataque, sem encontrar os melhores espaços para a finalização. Numa das bolas alçadas pelo alto direto do goleiro, a jogada terminou com lateral no ataque. Magrão (Júnior), esperto cobrou o lateral rápido e com força encontrando Jackson dentro da área para fazer 2×1.

Imediatamente o técnico João Carlos passou a jogar com goleiro linha e a posse de bola que já era grande, ficou ainda maior. Nessas entradas e saídas do goleiro linha, a equipe chegou a ficar por três minutos com a bola no ataque rondando a área e o gol da Kipão, batendo na trave e insistindo não entrar. E, em apenas dois toques, a bola foi retomada e sem goleiro Massinha mandou para o fundo das redes e dando números finais ao jogo, 3×1 no placar.

 

O Farol