Indústria paranaense é uma das que mais exporta no país

A indústria paranaense é a quarta que mais exporta no país. E nesse cenário de recessão econômica as exportações trazem esperanças de recuperação.

São cerca de seis mil pares de calçados fabricados todos os dias. Há mais de 20 anos, na empresa toledana que começou a exportar para países vizinhos e hoje para o mercado internacional que já representa 20% de toda a demanda.

Publicidade

Em 1998, o Brasil tinha menos de 19 mil empresas exportadoras. Mas de lá para cá a Rede de Centros Internacionais de Negócios contabilizou um crescimento superior a 60%. Isso significa que 25,4 mil empresas brasileiras exportam hoje sua produção. O Paraná é o quarto maior Estado exportador do país, com mais de 2,3 mil empresas.

O levantamento da Rede CIN, coordenada pela Confederação Nacional da Indústria, aponta ainda que nas duas últimas décadas o Brasil conquistou 50 novos mercados e passou a exportar o que antes comprava de fora. Um exemplo é a empresa do Alexandre, que fabrica peças agrícolas e recentemente começou a exportar.

Em Toledo, no oeste do Paraná, onde mais de 10 empresas figuram na lista em setores que vão do agronegócio a tecnologia, e até medicamentos, parte do que retorna em impostos é devolvido em incentivos para as empresas.

O crescimento das exportações do Brasil nos próximos anos depende, por exemplo, de infraestrutura. Mas segundo a própria CNI o país investiu nos últimos 20 anos pouco mais de 2% do Produto Interno Bruto no setor. Os investimentos feitos em 2017 e previstos para 2018 não são suficientes para compensar a depreciação da infraestrutura que já existe. Na prática isso significa que a infraestrutura brasileira encolheu nos últimos dois anos o equivalente a cerca de R$ 40 bilhões.

No Paraná, uma das obras mais aguardadas poderia ter sido finalizada só com parte do que se perdeu durante o impasse entre governo e caminhoneiros no início do ano. O projeto de ampliação da Ferroeste inclui, de um lado, a interligação com Maracaju, no Mato Grosso do Sul e, do outro, com o Porto de Paranaguá, no litoral do paranaense.

A fim de reduzir o custo logístico e aumentar a segurança com ações nos portos, ferrovias, rodovias e aeroportos a Federação das Indústrias do Paraná elaborou o Programa Estadual de Logística e Transporte. O Fórum Permanente Futuro 10 se tornou um marco de mobilização da sociedade civil do Paraná.

Ainda assim, a maturidade de empresas nacionais que encontraram no mercado internacional uma forma de sobreviver e continuar crescendo durante períodos de turbulência no mercado doméstico demonstram que a Indústria paranaense, é sim, capaz de levar o país por um caminho de prosperidade.

 

Catve.com

COMPARTILHAR