Connect with us

Notícias

Flauta Doce nas escolas

Publicado

em

Safismi

A música é um dos elementos que acompanha e envolve a humanidade desde
seus primórdios. Nos últimos anos, diversas pesquisas científicas têm
mostrado que a musicalização e o aprendizado de um instrumento podem
ajudar na assimilação de conteúdos que demandam raciocínio lógico e
concentração. Isso explica o motivo da inclusão de instrumentos musicais nas
escolas.

Em Santa Terezinha de Itaipu, uma parceria entre a secretaria de Educação e
o Departamento de Cultura, tem levado música e conhecimento para os alunos
dos 5º anos da rede municipal de ensino.

A oficina de flauta doce é um projeto que proporciona importantes conhecimentos de música, melodia, harmonia, teoria e o aprendizado de leitura de pauta ou pentagrama, que também é uma ferramenta de descontração e motivação entre uma matéria e outra.

A flauta doce possibilita ainda a formação de conjuntos, melhorando a
capacidade de memorização, de atenção, além de exercitar o físico, o racional
e o emocional dos alunos. De acordo com o diretor do departamento de cultura,
Mario Alarcón, a proposta do projeto é de levar conhecimento e estimular a
aprendizagem de uma maneira descontraída.

“A flauta doce é um instrumento envolvente, com isso, o esperado é que tenhamos ótimos resultados. Esse com o instrumento musical é sem dúvida uma experiência inovadora
para quem nunca teve a oportunidade de ter contato com a música de maneira
tão próxima e real”, explica.

A oficina de flauta doce vem sendo realizada de segunda à sexta-feira, no
período matutino e vespertino, nas escolas municipais Alexandre Zilli Netto,
Monteiro Lobato, Olímpio Spricigo e Nossa Senhora do Carmo.

Por Decom STI

 

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Whatsapp 45 3565-1033 - Canal direto com nossa redação - Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações


Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (0) in /home3/radiojornal/public_html/wp-includes/functions.php on line 4755