Escrivão de polícia denunciado pelo Gaeco é condenado a dez anos de prisão

O Juízo da 1ª Vara Criminal de Foz do Iguaçu condenou nesta semana um escrivão da Polícia Civil denunciado pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado).

Conforme o MP-PR (Ministério Público do Paraná), acusado pelos crimes de posse de munições de uso permitido e restrito, supressão de documento público e tráfico de drogas, além da contravenção penal de jogo do bicho, o réu recebeu pena de 10 anos e quatro meses de prisão, além de multa de R$ 25.392,70 e perda do cargo público.

Publicidade

A ação penal foi proposta a partir da prisão em flagrante do servidor, em decorrência do cumprimento de mandado de busca e apreensão no dia 5 de dezembro de 2017 durante a Operação Vant, que apurou crimes de prevaricação, corrupção passiva, falsidade ideológica e uso de documento falso, praticados por policiais civis.

Em decorrência da mesma operação, outro policial civil já havia sido condenado pelo Juízo da 1ª Vara Criminal de Foz do Iguaçu, em 19 de julho deste ano, às penas de cinco anos de prisão e perda do cargo público, pela prática dos crimes de posse ilegal de acessório de arma de fogo de uso restrito e fraude processual.

Catve

COMPARTILHAR