Empresário confirma pagamentos a irmão de Beto Richa e diz que vai entregar quase R$ 1 milhão como reparo de danos

A defesa do empresário Celso Frare, preso na operação Rádio Patrulha, afirmou que ele efetuou pagamentos ao irmão do ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB), Pepe Richa, e ao delator Tony Garcia por mais de cinco anos e disse que vai entregar quase R$ 1 milhão como reparação do dano.

Em petição à Justiça do Paraná nesta sexta-feira (14), a defesa de Frare pediu abertura de uma conta judicial para fazer o depósito.

Publicidade

Celso Frare, Pepe, Beto, Fernanda Richa e mais 11 pessoas foram presos pela operação que investiga irregularidades em contratos para a manutenção de estradas rurais no Paraná. A suspeita do Ministério Público é a de que contratos eram superfaturados para pagamento de propina para agentes públicos.

O ex-governador nega as acusações e informou, por meio da assessoria do PSDB, que está sofrendo muito e que enfrenta com serenidade e confiança qualquer acusação.

Pagamentos

Frare foi interrogado na quinta-feira (13) e, segundo a defesa, “não soube precisar as datas em que os pagamentos foram realizados”.

Segundo a defesa, Frare disse que fez pagamentos de R$200 mil, R$ 300 mil e R$ 220 mil. Por não se lembrar exatamente das datas e por ter sido há muito tempo, o valor da devolução foi recalculado “devidamente corrigido”.

Tony Garcia afirmou em sua delação que os pagamentos feitos por Frare tratavam-se de propina. O delator entregou um vídeo ao Ministério Público do Paraná (MP-PR), em que Frare aparece manuseando um envelope com dinheiro que seria para parte dos pagamentos.

Fonte: G1

COMPARTILHAR