Connect with us

Agricultura

Chuva traz alívio para agricultores do Paraná

Publicado

em

O cheiro da terra molhada chegou trazendo esperança para muitos agricultores da região oeste do Paraná  neste início do mês de outubro. Após um período de 15 dias sem chuvas significativas, de acordo com o SIMEPAR – Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná, este cenário começa a mudar no Estado. “A chuva que chegou na região oeste foi bastante expressiva. Só em Cascavel foram 40 mm de chuva de ontem para hoje. A perspectiva continua sendo boa. Tem mais chuva vindo por aí, até pelo menos domingo à noite”, explicou Reinaldo Kneib, Meteorologista do SIMEPAR. O profissional reforçou ainda que, as chuvas terão um período mais longo, contínuas, com a previsão de pelo menos mais 100 mm de chuva acumulada para região oeste.
Água caindo é sinal de recuperação e comemoração. Prova disso, é o relato da Agricultora Jessika de Fátima Piaskoski, produtora de hortaliças na região de Rio do Salto. “A chuva sem excesso é primordial para o andamento da lavoura. Quando os períodos de seca acontecem, sofremos com a diminuição da produção, atraso de crescimento, perda da qualidade, coloração atípica, aumento de insetos e fungos. Dependemos da chuva, e quando ela chega realmente é motivo para comemorar”.
Mas, mesmo com a chegada da chuva, a constância por manter a lavoura com vida, é tarefa bastante desafiadora para os agricultores. Em períodos mais secos, toda tentativa de salvar o plantio e colheita é válida. A produtora Márcia Aparecida, relatou à reportagem do portal Rural News, que, com a estiagem, acabou precisando furar um poço artesiano na sua propriedade para conseguir manter a sua horta. “E também acabamos gastando mais com caldas para passar nas plantas e controlar as pragas. A chuva que veio alivia, mas ainda é pouca. Precisamos de mais chuva para normalizar as nascentes e de fato colhermos resultados”, reforçou Márcia.
Este cenário reflete diretamente na qualidade da entrega dos produtos, por exemplo em supermercados, e também em seu valor final para o consumidor. Dentro do Núcleo Regional de Agricultura de Cascavel, existe o Departamento de Economia Rural, responsável pelo acompanhamento do plantio, gastos com a safra, previsão de colheita e da qualidade do produto. Com esses dados, o Departamento consegue fazer previsões para a safra. Todos essas informações são de extrema importância para que, todos os impactos negativos, pela falta de chuva, sejam os mínimos possíveis até a mesa do consumidor e também para os produtores, segundo o Departamento.
De acordo com Manoel Marcio Chaves, Chefe do Núcleo Regional de Agricultura de Cascavel, embora vivamos na dependência do clima e tempo, as estatísticas ainda assim são bastante promissoras. “Para haver qualquer reação na terra, é preciso umidade. Do meio de setembro para cá, tivemos um bom arranque de plantio. Com a perspectiva dada pelo SIMEPAR projetamos um arranque ainda maior para as próximas semanas”, concluiu.
Fonte: Rural News

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (0) in /home3/radiojornal/public_html/wp-includes/functions.php on line 4755