Vacinação antirrábica em cães e gatos é retomada em Foz do Iguaçu

Um ano e meio após ser suspensa pelo Governo Federal via Secretaria de Estado da Saúde, a vacinação antirrábica para cães e gatos volta a ser ofertada gratuitamente pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Foz do Iguaçu a partir desta segunda-feira (13).

A vacinação foi suspensa em janeiro de 2017 porque Foz do Iguaçu não apresentava casos de raiva canina ou felina há dez anos. No entanto, o aumento abrupto de casos de raiva em morcegos fez com que o CCZ pleiteasse a retomada da vacinação. Foram 31 casos positivos de raiva em 2017 e 29 registrados até agora.

Publicidade

“O CCZ realiza vigilância de circulação viral rotineiramente, e através disso, sabe-se que não há circulação do vírus rábico em cães e gatos. Porem, é importante que os proprietários continuem vacinando seus animais anualmente” ressaltou o veterinário e chefe do CCZ, Carlos Eduardo Santi.

Num primeiro momento, a vacina volta a ser disponibilizada na sede do CCZ, no Jardim Ipê III, sempre às segundas-feiras, das 8h às 14 horas. “Basta levar os animais até o local, onde haverá uma equipe exclusiva para o atendimento. Nos outros dias da semana a vacina também estará disponível, mas não haverá equipe exclusiva para isso – o que pode gerar alguma demora no procedimento. Por isso, solicitamos que as pessoas levem seus animais sempre às segundas-feiras” explicou Santi.

Outra informação importante é que cães e gatos que já receberam a vacina este ano, em alguma clínica particular, não precisam tomar novamente. “Não há problema em revacinar cães que já tomaram a vacina em clínicas, mas se foi neste ano, não há necessidade de revacinar o animal”, reiterou.

Itinerante

Em breve o CCZ iniciará a vacinação itinerante de cães e gatos nos bairros. Haverá um cronograma com as datas previstas para cada bairro, e o carro de som do CCZ fará o trabalho de divulgação. A meta é vacinar 40 mil cães e gatos ao longo de 12 meses.

Doença

A raiva é uma doença grave que afeta o sistema nervoso central de mamíferos, podendo afetar o homem. Atualmente, existe uma grande preocupação em atender aos casos de pessoas e animais domésticos que tenham tido contato com morcegos. Morcegos caídos (vivos ou mortos) sempre devem ser encaminhados ao CCZ para exame de raiva.

 

Redação Catve

COMPARTILHAR