Paraná sedia certificação nacional em ‘cães bombeiros’ em Foz do Iguaçu

Equipes de cinotécnicos de unidades de Corpos de Bombeiros de todo o Brasil estão em Foz do Iguaçu para a Certificação Nacional de Cães em busca de qualificação e aperfeiçoamento para a atuação em situações de busca e resgate em todo território nacional.

Ao longo de quatro dias (de 19 a 23) bombeiros e seus cães passarão por exercícios e atividades que vão testar suas habilidades e condições para que possam obter a Certificação que permite a atuação na atividade em seus estados de origem. A atividade faz parte do XVIII Seminário Nacional de Bombeiros (Senabom 2018), que inicia oficialmente nesta quarta-feira (21).

Publicidade

“Cada vez mais a presença do cão nas ações de busca, salvamento e resgate têm sido intensificada, e isso nos favorece e possibilita uma proteção maior à vida, uma agilidade na busca por meio do emprego do faro do cão e reconhecimento nacional”, disse o comandante do Corpo de Bombeiros do Paraná, coronel Edmilson de Barros. Segundo ele, a Certificação é fundamental para sedimentar essa atividade no Brasil e, principalmente, no Paraná que atua em diferentes terrenos missões.

Os cães de busca e salvamento passam por um treinamento que dura em torno de um ano a um ano e meio, desde filhotes, conforme explica o presidente da Certificação Nacional de Cães, capitão Daniel Lorenzetto. A prova que está ocorrendo em Foz é de nível nacional e tem como objetivo chancelar o binômio (cão mais condutor) para atuar em missões de nível nacional.

“Nesta prova vamos simular uma situação real de busca na qual colocaremos uma pessoa perdida dentro do Bosque do Vietnã, que é uma área delimitada, de aproximadamente 30 a 40 mil metros quadrados; serão duas ou três vítimas escondidas dentro dessa área e o cão vai ter um tempo, no máximo, de 30 minutos para localizar essas pessoas a partir do início da prova. Caso ele consiga, ele galga o grau e passa a ser um cão certificado para executar missões de busca rural ou busca em mapa”, explica o capitão.

A organização dos trabalhos é feita pelo Grupo de Operações de Socorro Tático, do Corpo de Bombeiros do Paraná.

O cronograma inclui exercícios de orientação, rastreio e venteio em áreas rural e urbana, além de busca e resgate em estruturas colapsadas. Também serão feitas atividades de adestramento, agilidade e obediência dos cães.

Todos os itens serão avaliados por uma comissão de Bombeiros do Grupo. A aprovação dos exercícios será com base em requisitos aceitáveis que qualificam o militar e o cão para a atividade. Ao fim das ações as equipes que completarem com êxito as tarefas obterão a Certificação da Liga Nacional de Bombeiros (Ligabom).

Além do Paraná, participam das provas equipes do Mato Grosso do Sul, Santa Catarina, Amapá, Goiás, Paraíba, Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Tocantins e São Paulo. Todas as equipes de Bombeiros já atuam na área e participam do exercício em busca da renovação da Certificação, que é feita a cada dois anos, além de qualificar os cães e renovar a doutrina. As ações estão sendo feitas em áreas de mata e urbanas, simulando situações que se aproximam o máximo da realidade vivida no dia a dia dos profissionais.

Para o sargento do 5º Subgrupamento do Corpo de Bombeiros do Mato Grosso do Sul, Luciclei da Silva de Lima, os cursos de formação são genéricos e, por isso, este tipo de prova contribui bastante. “Muitos dos problemas, dos entraves no treinamento e adestramento, acontecem no dia a dia, e esse momento é propício porque promove esse intercâmbio, e troca de informações entre os outros Estados, o que acaba fomentando, fortalecendo e resolvendo muitos dos nossos problemas”, disse. “Sempre trazemos militares e nossos cães para serem certificados, testados e avaliados, para complementar nosso serviço de busca e resgate com cães do Estado”, acrescentou.

 

Portal da Cidade Foz

COMPARTILHAR