Oposição a transgênicos prejudica países em desenvolvimento

Um estudo publicado recentemente na revista acadêmica Global Food Security indicou que a oposição aos cultivos transgênicos e geneticamente modificados em geral tem repercussões negativas para os países em desenvolvimento. A pesquisa analisou dezenas de estudos científicos anteriores,58 no total, sobre a segurança do milho Bt, uma cultura geneticamente modificada capaz de resistir a pragas.

O estudo confirmou a conclusão de que o cultivo geneticamente modificado (GM) é seguro para os seres humanos e o meio ambiente. Walter Suza, assistente de agronomia no estado de Iowa, nos EUA e coautor do estudo, disse que o milho Bt poderia ajudar os agricultores na África para combater uma praga emergente pode devastar suas colheitas, mas o medo de culturas GM na África acaba prejudicando.

Publicidade

“Minha esperança é que os formuladores de políticas na África assumam esse documento e implementem essa tecnologia comprovada há muitos anos”, disse Suza. “Há uma necessidade real disso na África”, completa o pesquisador.

Além disso, ele afirmou que a má interpretação da tecnologia GM, tanto a nível global e, especificamente, na África, retardou o progresso de muitos agricultores africanos. Suza disse que 13 países africanos estão realizando testes de campo com culturas GM, mas apenas a África do Sul aprovou o milho Bt para a disponibilidade comercial dos agricultores.

Para o especialista, isso é um problema porque uma praga de lagartas emergentes está se espalhando rapidamente pela África e ameaçando as plantações de milho. Ele disse que o milho Bt pode ajudar a combater a praga imediatamente, enquanto o desenvolvimento de resistência por meio da reprodução tradicional levará anos.

Fonte: Agrolink