“Jogando em casa”, Jesus e Coutinho exaltam qualidade da Inglaterra

Dois dias antes do duelo contra a Inglaterra, em Wembley, dois jogadores que atuam no futebol local foram convocados para entrevista coletiva. Gabriel Jesus e Philippe Coutinho foram aos microfones e fizeram questão de exaltar a força e o estilo de jogo bem conhecido do adversário, que possui muitos desfalques em relação ao time considerado ideal. As ausências, entretanto, foram desconsideradas pelos atletas, que lembraram do esporte coletivo e da qualidade que envolve o futebol inglês de maneira geral.

“Temos que levar em consideração o futebol inglês para ver como a Seleção joga, pois segue o mesmo estilo. A Premier League é bem intensa, corrida e o jogo não para muito, pois o gramado é bem rápido. Apesar de ser a seleção nacional, o formato do jogo deve seguir esses padrões”, disse Coutinho.

Depois de oito cortes, entre eles Dele Alli e Harry Kane, os brasileiros não acreditam que as ausências façam grande diferença. “Os desfalque não fazem com que o jogo deles mude. O Tite estudou bastante, mas posso dizer que a Inglaterra é uma equipe bem plantada taticamente, se defende bem e muito intensa. Uma característica deles que se assemelha a nossa é na recuperação da bola, sempre alta”, completou.

Um dos grandes trunfos da Seleção Brasileira é o número de jogadores que atuam no futebol inglês, sendo quatro do Manchester City, além do atleta do Liverpool. Para Coutinho, que retorna após ser poupado contra os japoneses, esse é um fator que pode contribuir no duelo. “Espero que possa ajudar esse número grande de jogadores que temos na Premier League. Como eu sempre falo, é um grande campeonato, muito competitivo e é importante que estejamos preparados, para que isso ajude”, ressaltou o meia.

Quem também falou sobre o confronto foi Gabriel jesus. O atacante fará sua estreia no Estádio de Wembley e analisou um duelo individual que terá pela frente, contra o companheiro de equipe, John Stones. “Ele é um companheiro de equipe, um amigo que me ajudou bastante na adaptação quando cheguei à Inglaterra. Mas em seleção, ele defende a dele e eu a minha, espero que ele possa fazer um grande jogo. Se tiver que bater ele vai bater, e se eu tiver que fazer gols, vou fazer também”, comentou o camisa nove.

Treino

Em relação ao treino deste domingo, Tite escalou o time que é o considerado titular sob seu comando. Apenas os primeiros 25 minutos foram abertos para a imprensa local e foi possível ver um aquecimento seguido de um trabalho bem específico com a linha defensiva formada por Daniel Alves, Miranda, Marquinhos e Marcelo, em que a comissão técnica simulava o ataque da Inglaterra e forçava a ação defensiva dos brasileiros, principalmente com a presença de Jamie Vardy, possível centroavante adversário que tinha movimentação feita por Fernando Lázaro, também da comissão.

Na outra extremidade do gramado, bonecos simulavam o sistema defensivo inglês e os jogadores da Seleção, separados por posição, propunham situações ofensivas, com infiltrações, jogadas de profundidade e pelos flancos do campo, possivelmente uma tendência do time de Tite na próxima terça-feira, em Wembley.

Em certo momento do treinamento, o comandante reuniu alguns atletas, dando pista da equipe que deve iniciar o próximo amistoso. Junto com Tite estavam: Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Miranda e Marcelo; Casemiro; Paulinho, Renato Augusto, Philippe Coutinho e Neymar; Gabriel Jesus.

Gazeta Esportiva

COMPARTILHAR