Festa Gigante: Zé Roberto faz golaços em despedida no Allianz Parque

Golaço do Gigante Zé Roberto, do também Animal Edmundo, homenagens à ídolos e festa. Foi assim a manhã de domingo no Allianz Parque, onde mais de 20 mil pessoas acompanharam o jogo de despedida do agora coordenador técnico do Verdão, que se aposentou ao final de 2017.

O dono da celebração mostrou um pouco do futebol que o fez chegar à disputar a Copa do Mundo ao anotar dois belos gols e ainda acertar o travessão em mais duas oportunidades. O duelo entre o Palmeiras de Todos os Tempos, pelo qual o ex-atleta de 44 anos atuou nos dois tempos de 40 minutos, e os Amigos de Zé terminou em 6 a 6.

Publicidade

Os relacionados do Palmeiras de Todos os Tempos tiveram Tonhão, Junior Baiano, Roque Júnior, Oséas, Alex Mineiro, Euller, Galeano, Júnior, Marcos Assunção, César Sampaio, Edmundo, Rubens Júnior, Paulo Nunes, Amaral, Pierre, Antônio Carlos Zago, Rivaldo, Velloso, Sérgio, César Maluco, Ademir da Guia e Alex. Dudu e Rubens Minelli foram os técnicos.

Já entre os amigos de Zé Roberto, as estrelas principais eram D’Alessandro, Seedorf, Edmilson, Carlos Germano, Kléber, Gilberto e Pedro Geromel. O último, inclusive, recebeu pedidos para assinar com o Verdão. Ao anunciar a subida dos atletas pelo túnel, o anfitrião da partida, Mauro Beting, disse: “Está subindo o túnel, Pedro Geromel. Podia subir sempre”.

A surpresa ficou por conta das ausências de São Marcos e Ronaldinho Gaúcho. Os dois estavam confirmados na lista passada pela assessoria de imprensa antes do jogo, mas ambos não compareceram ao duelo na manhã deste domingo.

As escalações iniciais foram Sérgio; Claudio, Antônio Carlos, Junior Baiano e Junior; Cesar Sampaio, Marcos Assunção, Zé Roberto. Rivaldo, Edmundo e Alex pelo lado alviverde. No time do Zé: Clemer, Alberto Valentim, Geromel, Aldair e Kleber; Edmilson, Tico, Seedorf e D’Alessandro; Giovanni e Alberto.

Quase na metade do primeiro tempo, D’Alessandro mostrou que seria um jogo de muitos golaços ao encobrir Sergio e abrir o placar. O argentino foi rápido em aplaudir a torcida palestrina para evitar vaias, mas quando o locutor anunciou que o tento era do meia, houve quem chiasse nas arquibancadas.

Alex empatou para o Verdão e a virada veio com uma pintura de Zé Roberto, que marcou cobrando falta por cima da barreira. O novo empate, agora por 2 a 2, veio de novo com D’Alessandro.

Em campo, além de D’Alessandro, Edmundo e Zé Roberto eram quem mais procuravam levar o jogo festivo à sério. E o Animal da camisa 7 também foi premiado com um golaço, após ter outra bola na rede anulada. O craque recebeu na entrada da área e chutou forte no ângulo de Clemer. A bola ainda bateu no travessão antes de entrar, fazer a festa da galera e provocar beijos do atacante no escudo do Palmeiras. Antes do final do primeiro tempo, Túlio Maravilha empatou de novo.

No intervalo da partida foi a vez de Zé Roberto fazer homenagens. Primeiro, ele chamou o Sr. Guimarães, seu primeiro técnico quando o craque ainda atuava no Pequeninos do Jockey e, sem condições financeiras para chegar ao treino, por vezes dormia na casa do treinador. “Ele me ensinou a ser exemplo, a não falar palavrão em campo, a respeitar”. Na sequência, três amigos que começaram a carreira com o camisa 11 na Portuguesa, em 1990, também receberam homenagens.

Na etapa final quem começou roubando a cena foi Paulo Nunes. O atacante começou jogando, teve um gol anulado, marcou outro, usou a famosa máscara de porco e pediu substituição logo em seguida, com menos de cinco minutos do segundo tempo.

Paulo Nunes, porém, ainda voltou a tempo de dar assistência para Zé Roberto, que conduziu a bola de costas e marcou seu segundo no jogo, o quinto do Palmeiras. Giovani diminuiu e Alex Mineiro fez mais um belo tento para o Verdão, pegando de primeira o cruzamento de Wendel. Até ali, 6 a 4 para o Palmeiras.

Seedorf, porém, entrou em campo e mostrou que não estava para brincadeira. Primeiro, sofreu pênalti convertido por Jackson. Depois, empatou o jogo tirando de Veloso para definir o marcador em 6 a 6.

Gazeta Esportiva