F1 muda sistema de punição de grid para ano que vem

A FIA anunciou que o sistema de penalidades de grid da Fórmula 1 será ajustado para a próxima temporada com o objetivo de tornar as coisas menos confusas para os fãs.

Após o crescente desconforto com as penalidades de grid neste ano, a situação se tornou ainda mais tensa devido às preocupações de que as penas poderiam aumentar no ano que vem, com a F1 utilizando apenas três motores por temporada.

Após discussão no Conselho Mundial da FIA na última quarta-feira, uma nova estrutura de punição foi estipulada.

De agora em diante, qualquer piloto que tenha uma punição de mais de 15 lugares (o que equivale a ter três novos elementos pela primeira vez) terá que largar do fim do grid.

Um comunicado emitido pela FIA disse: “a mudança no sistema de penalidade de unidades de potência também foi aprovada. Assim, se um piloto tem uma pena superior a 15 posições no grid, ele será obrigado a iniciar a corrida do último lugar”.

“Se mais de um piloto receber a punição, eles serão organizados na parte de trás do grid na ordem em que as infrações foram cometidas.”

A FIA também divulgou que outras mudanças foram colocadas nos regulamentos para 2018.

Elas incluem:

– Regulamentos relativos a procedimentos para iniciar ou retomar uma corrida atrás do carro de segurança;

– Alteração do cronograma do evento para aumentar a flexibilidade;

– Garantia que os testes de carros de anos anteriores só possam ocorrer em pistas que atualmente possuem licença da FIA de Grau 1;

– Eventos de demonstração em carros anteriores não constituem teste. Nenhuma dessas demonstrações pode exceder 50 km, e apenas os pneus fabricados especificamente para este fim pelo fornecedor podem ser usados;

– Mudanças para garantir que o óleo não possa ser usado como combustível;

– Introdução de uma especificação detalhada para o combustível;

– Peso e volume mínimos para armazenamento de energia (baterias);

– Mudanças na posição de câmeras e espelhos para acomodar o Halo.

COMPARTILHAR