Boi gordo: frigoríficos pagam mais para conseguir atender demanda de Natal

Com a aproximação do Natal, está difícil a aquisição de boiadas e o volume de negócios diminuiu, aponta a Scot Consultoria. Os frigoríficos que precisam de bois para atender a demanda esperada para essa época do ano estão ofertando preços acima da referência.

Em São Paulo, por exemplo, a cotação subiu 50 centavos por arroba, um acréscimo de 0,3% na comparação dia a dia. Desde o início de dezembro a valorização foi de 2% no estado.

Publicidade

As escalas de abate em São Paulo giram em torno de seis dias, porém, foram registradas indústrias com escalas mais curtas.

Em Goiânia (GO), o cenário é o mesmo e a alta foi de 0,7%.

Por outro lado, em regiões onde a oferta foi suficiente para atender a demanda, foram registadas desvalorizações. Como foi o caso de Sul do Tocantins, onde a queda foi de R$ 1 por arroba frente ao levantamento de quarta-feira, dia 19.

BOI GORDO NO MERCADO FÍSICO – ARROBA À VISTA
Araçatuba (SP): R$ 151
Triângulo Mineiro (MG): R$ 146
Goiânia (GO): R$ 139
Dourados (MS): R$ 140
Mato Grosso: R$ 131 a R$ 136
Marabá (PA): R$ 133
Rio Grande do Sul (oeste): R$ 4,90 (kg)
Paraná (noroeste): R$ 151
Paragominas (PA): R$ 138
Tocantins (sul): R$ 135

Canal Rural

COMPARTILHAR