Apicultores do Oeste devem adotar cuidados com apiários nos dias de frio intenso

O período de inverno, com dias de frio intenso, requer atenção especial quanto à apicultura. A ocorrência de geada o vento frio e, em alguns casos, a chuva, são fatores que merecem dedicação e adequações para manter os enxames vivos e sem percas. A entrada de ar frio nas caixas de abelhas pode provocar o resfriamento, e até morte de larvas.

O alerta aos apicultores é feito pela Cooperativa Agrofamiliar Solidária da Costa Oeste, Coofamel como forma de orientar os associados e apicultores da região quanto ao melhor manejo, ou, prevenção a prejuízos.

As abelhas são insetos sensíveis à seca, chuva em excesso, calor e frio, o que influencia diretamente na produtividade. No caso de muito frio, os insetos param de trabalhar e se aglomeram sobre a área de cria para conservar o calor corporal e aquecer as larvas. Nesses casos, as abelhas também consomem mel.

Algumas dicas são importantes para evitar perdas com a chegada dos dias de clima frio, segundo o presidente da Coofamel, Wagner Gazziero. Na escolha do local para os apiários deve-se evitar pontos onde vente muito e dar preferência a áreas em que as caixas recebem a luminosidade que ajuda a aquecer a colmeias. As entradas devem ser voltadas para o lado contrário ao dos ventos prevalecentes na região, mesmo que sejam fracos. Outra orientação é para reduzir a parte da entrada da colmeia para barrar o vento.

O apicultor deve evitar abrir as caixas no frio, mesmo que rapidamente. Isso leva à perda de calor e as abelhas terão um desgaste enorme de energia e de alimento para conseguir elevar a temperatura até as condições aceitáveis novamente.

A alimentação dos insetos pode ser feita com açúcar VHP para substituir a fonte energética e utilizar a massa proteica em substituição ao pólen, suplementos básicos para as larvas, como detalha Wagner Gazziero ao falar dos cuidados que os apicultores devem ter nos períodos de frio.

Assessoria Coofamel

COMPARTILHAR