Alunos ficam sem transporte escolar após paralisação de motoristas em São Miguel

No começo da tarde desta terça-feira (11), um protesto realizado próximo à prefeitura de São Miguel do Iguaçu, reuniu 22 motoristas e seis monitores do transporte escolar do município, que pararam de trabalhar por estarem sem receber salários.

Segundo os manifestantes, além do salário do último mês, eles também não receberam o 13º. Eles ainda apontam outras irregularidades em relação às empresas das quais eles seriam empregados.

Publicidade

Conforme o motorista Mauro da Silva Souza, na parte da manhã as linhas ainda operaram normalmente levando os alunos até a escola e no final da manhã novamente para casa. Porém na parte da tarde paralisaram o transporte e se reuniram em forma de protesto.

Eles alegam que também existem irregularidades no registro dos motoristas e monitores, pois alguns deles estariam com carteira assinada em duas empresas.

As duas empresas terceirizadas, que são responsáveis pelo transporte escolar e operam nas linhas do interior do município, foram investigadas pela Divisão de Combate à Corrupção, da Polícia Civil, que apurou um esquema criminoso envolvendo o transporte escolar em São Miguel do Iguaçu, no qual sete pessoas foram indiciadas por fraude a licitação e organização criminosa.

A reivindicação mais urgente dos funcionários é o recebimento do salário do mês de novembro e 13º salário para que eles possam retornar ao trabalho e não prejudicar os alunos.

 

Redação: Guia Medianeira / Imagens: Portal Costa Oeste