1.100 casos de violência contra a mulher foram registrados em Foz do Iguaçu

Os dados foram divulgados recentemente pela delegada da Delegacia Especial da mulher em Foz do Iguaçu. De janeiro até dezembro deste ano foram registrados 1.100 inquéritos policiais contra os agressores. Esse número supera toda a demanda atendida ao longo do ano passado em que foram registrado 860 casos. A delegada responsável por esses atendimentos, Monica Ferracioli ressalta que apesar do crescimento no número de inquérito isso também mostra, de maneira significativa, o aumento no número de denúncias feitas, ou seja, cada vez mais as vítimas tomam coragem em denunciar seus agressores. Ainda segundo dados divulgados, o maior número de casos está relacionado a brigas entre casais.

Em 2017 foram contabilizadas três tentativas de homicídio e um consumado, além disso, oito estupros. Quando a violência está de fato consumada, ai a delegacia encaminha o caso ao judiciário para conseguir medidas protetivas para essas mulheres. Dos 1.100 procedimentos abertos na delegacia, 800 terminaram por gerar medidas protetivas. A fiscalização destas medidas é feita pela patrulha Maria da Penha.

Recentemente, a prefeitura assinou um convênio com o governo do estado para aquisição de 50 equipamentos chamados de Botão do Pânico. Ele será usado por mulheres que estejam com medidas judiciais protetivas e quando o botão é acionado a Guarda Municipal ou a Patrulha Maria da Penha recebem a informação imediatamente. Além do botão, a mulher que sofrer qualquer tipo de agressão pode também denunciar por meio do telefone 180.

O alto número de inquéritos chamou a atenção também dos vereadores e já virou pauta na Câmara Municipal. A vereadora Nanci Rafagnin apresentou um requerimento no qual solicita mais informações sobre estes casos e também pede a construção de uma sede para atender melhor essas vítimas.

Fonte: Catve

COMPARTILHAR